domingo, 24 de maio de 2009

Butterflies and dreams

Todos nós já conhecemos alguém por quem o nosso coração bateu desalmadamente...alguém por quem sentimos uma empatia inexplicável...sentimos as borboletas na barriga a toda a hora e mais ainda quando sabemos que vamos estar com essa pessoa...sentimos o coração descompassado, mas em sintonia com o coração desse alguém...sonhamos mil coisas, fazemos projectos, fantasiamos uma vida em comum...

E quando esse sonho se esfuma em mil pedaços, nada nos dói mais do que essa dor de alma...essa dor que se sente na pele...que nos deixa com o coração apertado...que nos tira a fome e a vontade de fazer seja o que for...que nos impede de pensar racionalmente...

O tempo passa e cura tudo...ou quase tudo...nunca me arrependo de coisas como me ter apaixonado...mesmo que à distancia de uns anos essa pessoa não me pareça ser tão digna do meu amor...porque foi uma experiência de vida...onde aprendi muito...e mudei para melhor, sem duvida.

E continuo a acreditar nos meus sonhos e em borboletas na barriga...

12 comentários:

Swadharma disse...

Temos que cuidar do nosso jardim, certamente atrairá as melhores borboletas, aquelas que souberem distinguir o verdadeiro nectar das flores.
Contudo, por vezes uma borboleta pode entrar e depois, enexplicavelmente, voar para fora... e custa muito ver a nossa borboleta sair. Mas não a podemos enclausurar... isso poderia ferir as suas asas... poderia magoar permanentemente a borboleta. E assim, ficariamos com um jardim ocupado por uma borboleta magoada.
Mais vale deixar partir a borboleta...
*

Hermione disse...

a, apesar de tudo, nunca deixes de acreditar...

Cat disse...

Eu tbm concordo. E tbm não me arrependo de nenhuma (só de uma, talvez...). São experiências de vida e, mesmo que dolorosas, ajudam-nos a crescer, enriquecem-nos como pessoas, ajudam-nos a sermos pessoas melhores nas nossas futuras relações.

E o melhor é conseguir não perder a capacidade de voltar a amar :)

Beijinho *

alma disse...

Eu só me apaixonei verdadeiramente uma vez e durou metade da minha vida...mas que doi quando acaba, sem duvida que doi e muito :(

Será que me apaixonarei outra vez?

Dexter disse...

Como diz a Cat, o essencial é n perder a capacidade de voltar a amar. É fazer com que as feridas sarem!

Tal como se diz por aí...n há nada como um grande amor p fazer esquecer o antigo ;)

P. disse...

Assim como tu, já me apaixonei e também senti o meu coração desfazer-se em mil pedacinhos quando o meu maior amor se transformou na minha maior desilusão... a boa notícia, é que realmente o tempo é o melhor amigo e te ajudar a colar todos os pedaços.
Eu continuo a acreditar que ainda vai aparecer alguém para me ajudar a apanhar alguns pedacinhos que ainda estão no chão.

o dono do blog disse...

Afinal viver é isso mesmo (será?): amar, errar, corrigir os erros e voltar a errar na mesma (lol). E é bom sentir o coração apertado e aquelas descargas de adrenalina que fazem as borboletas na barriga... e depois, arrependimentos não trazem nada de volta.
Beijinho.

disse...

É como dizes são experiências e experiências permitem-nos aprender, o que é sempre positivo.

_Malinha viajante disse...

As borboletas fazem parte de nós, creio mesmo que já vieram incluídas no pacote e de vez em quando lá elas se fazem notar rigth?;PP
bjs

Gingerbread Girl disse...

Passei por algo assim... há uns 15 anos. :s


Ui... como o tempo voa...

Fica sempre algo de residual... mas o tempo amortece-lhe a importância.


*

sakura disse...

Swadharma: concordo quando dizes que mais vale deixar a borboleta voar para ser feliz noutro jardim...eu vou cuidar do meu jardim e esperar pela minha borboleta...tenho a certeza de que será feliz aqui! =)

Hermione: acredito, eu acredito sempre! ;)

Cat: não me arrependo de nenhuma das minhas relações...nenhuma mesmo! E foi muito bom enquanto duraram!

Alma: quando falo no amor da minha vida, falo sempre da mesma pessoa...e espero que esse lugar seja de novo preenchido por outra borboleta. Mas já me apaixonei algumas vezes...tenho esta capacidade de me deixar seduzir, de me encantar, de amar... O que não acho que seja mau ;)
Quando menos esperares apaixonas-te de novo, vais ver!
Obrigada pela visita!

P.: espero que encontres esse alguém que te irá ajudar a apanhar os ultimos pedacinhos do teu coração!
Obrigada por passares no meu cantinho!

O dono do blog: viver é isso mesmo! Não nos devemos arrepender porque algo de bom terminou, devemos antes agradecer por algo de bom ter acontecido! =)

Bê: a vida é mesmo assim, uma aprendizagem constante! ;)

_Malinha viajante: não imaginas como tens razão! As borboletas fazem mesmo parte da minha vida!

Gingerbread Girl: o tempo voa mesmo! Por cada experiência que temos resta sempre algo dela dentro de nós...por mais que o tempo passe...nem que seja no cantinho das recordações!
Obrigada pela visita!

Beijinhos a todos e às novas leitoras: voltem sempre!

Anónimo disse...

Todos nós compartilhamos uma história amorosa, de aventuras e desventuras... A maioria de nós sofreu uma separação, um fim, um término.

Mas mal de nós pensar que somos desafortunados por tal ter acontecido! Em qualquer má ocasião, algo de bom acontece. E o facto de termos passado por esta provação, significa que nos tornamos mais fortes, mesmo que por vezes não pareça.

Tal como vós, senti intensamente as minhas borboletas na barriga. Tal como alguns de vós, senti o meu coração a despedaçar, os meus sonhos a desvanecerem, a acordar violento para a realidade... Mas de nada me arrependo! Aprendi, cresci e tornei-me numa pessoa melhor, tanto nos tempos em que as borboletas esvoaçavam loucamente, como nos tempos do coração despedaçado!

Agora, as borboletas voltaram aos seus casulos, à espera de um dia voltarem a soltar-se. E se um dia voltar a ver o meu coração despedaçado, paciência... Já tenho experiência no assunto, e cola não me falta :oP

Bejinhos,
Rob.