quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Relações reais e virtuais


Sempre me dei conta de que alguém que passa a não estar disponível, que agora tem namorado(a), passa a ser mais apetecível, chama mais atenção aos olhos dos outros.
O porquê das coisas serem assim não entendo muito bem...
O fruto proibido é o mais apetecido? Talvez...
Será porque a pessoa que não está mais disponível mudou o seu foco de atenção, concentrou-o no seu novo amor, e surgem a inveja e o ciúme? Muito provavelmente.

Se há coisa que não entendo mesmo, é alguém estar sem namorado(a) imenso tempo e quando finalmente encontra a sua alma gémea, a sua cara metade, aparece um amigo(a) (se calhar não tanto amigo(a) assim...) a dizer que, afinal, estava apaixonado por nós...
Pois... Só agora é que se lembrou, deixa cá ver, pois foi... E o resto do tempo, onde andava essa paixão??? E porquê vir dizer algo assim agora? Só se for para estragar o clima de romance do novo casal...que não se estraga quando o amor existe mesmo.
O que se acaba por perder é essa amizade...porque há alturas da vida em que mais vale estar calado(a). E se somos realmente amigos, não vamos estar a estragar a felicidade dos outros. Não há o: ai que eu precisava mesmo de desabafar isto contigo...

Há por este mundo fora muitas pessoas carentes. Carentes de atenção, de afecto. Todos nalguma fase da nossa vida o sentimos... Mas o que me assusta por vezes, é a quantidade de pessoas assim que pululam na blogosfera... Por vezes assusta. E eu ando por aqui há tão pouco tempo (4 meses apenas tem este meu cantinho)...

O mundo virtual é um escape, onde podemos ser quem quisermos...nós próprios, ou inventar uma fachada, um alter-ego. Podemos escrever aquilo que queremos, o que nos der na real gana. Mas nós não somos aquilo que escrevemos, não o somos nunca. Somos apenas parte daquilo que escrevemos...se o que escrevemos é sincero.
Como é que pode alguém dizer que está apaixonado por nós, se apenas conhecer o que escrevemos, que pode nem ser real? Se não nos conhece pessoalmente? Não entendo, juro que não entendo...
Uma coisa é dizer que adoramos o que alguém escreve, como adoramos o nosso autor favorito. Outra coisa é dar um salto de anos-luz e dizer que estamos apaixonados por essa pessoa...

Só quando se olha, se toca, se vive, se convive, se sabe realmente...

12 comentários:

_Malinha viajante disse...

O mundo virtual permite partilhas (como por exemplo os nossos blogues), identificarmo-nos com pessoas que nunca vimos a cara, porque afinal todos passamos por situações semelhantes, criar afinidades e até fazer grandes amizades. Mas dizer que estamos apaixonados por alguém sem cara não acredito que também seja possível, pode sim haver empatias e afinidades como disse e ao passarem a barreira virtual haver algo mais!!
bjs

Le Enfant Terrible disse...

Concordo contigo e não concordo! Aquilo que se escreve mostra por vezes mais daquilo que somos do que por vezes pensamos estar a mostrar. Por vezes aquilo que escrevemos é aquilo que pensamos mas não fazemos, que sentimos mas não dizemos. Se há paixões virtuais? Talvez, não sei, mas que por vezes há um desejo, uma curiosidade de desembrulhar o papel que tapa algumas faces virtuais e vê-las na realidade, isso há!

sakura disse...

_Malinha viajante:
Partilhar histórias e afinidades é sempre bom :) fazer amizades também. O que acho é por vezes as coisas são extrapoladas...quando afinal não sabes como as pessoas são na realidade.
Bjinho*

sakura disse...

Aquilo que se escreve pode mostrar o que vai por dentro...pode mesmo. Mas nem todas as pessoas são na realidade tal como se descrevem.
E sabes? O meu papel eu já desembrulhei uma vez. E foi o melhor que fiz até hoje. Conheci alguém que me completa, que me faz feliz.
Se foi o que essa pessoa escrevia no blog que me fez apaixonar? Não, não foi. Ele vale por si só. O blog foi o meio de nos encontrarmos...estava escrito nas estrelas :)
Bjinho*

sakura disse...

Le Enfant Terrible: esta ultima resposta é para ti :) esqueci-me de escrever o teu nome, sorry!

GiGi disse...

Como você disse, é assustador o número de pessoas carentes na blogosfera. Estas mesmas pessoas vivem no mundo real junto a inúmeras outras também carentes. E, quando esta carência "aperta" e a pessoa não consegue encontrar outra mais próxima, ela parte para o virtual, onde sanará mais facilmente sua necessidade. Afinal, ela pode ser o que quiser, sendo mais fácil agradar ao outro, que não o vê.

Talvez você não tenha orkut. Lá, sim, é um festival de carentes e revoltados, que reclamam de mulheres, reclamam dos homens, reclamam da sua condição atual, como vítimas que nunca cometeram erros. Isso, sim, é assustador!

Beijos!

Rosa Cueca disse...

No virtual há o fascínio, há o idealizar uma pessoa e isso nem sempre é um factor positivo...

Acho que revela igualmente alguma imaturidade emocional e na forma como as pessoas lidam com as relações.

Dexter disse...

Em primeiro lugar, concordo plenamente ctg qdo dizes que n conhecemos a pessoa pelo que escreve no blog. Sim, pq se eu fosse apenas o que escrevo no blog, seria um infantilóide com tendências p besta, e modéstia à parte, disso não tenho nada. E o mesmo admito que aconteça com outras pessoas. Uma coisa é o blog e o que se escreve, outra é o que a pessoa é na vida real. Há que separar as águas.

Por outro lado, mas isto é uma opinião mto pessoal, n compreendo como é que alguém se pode apaixonar pela net. Não me cabe na cabeça, acho insustentável. Não estarão a confundir algo com outro sentimento? É que depois ainda comem gato por lebre...

Gingerbread Girl disse...

Esse teu amigo... manda-o bugiar, muito sinceramente. =) Essa história é um clássico. -.-
Não há pachorra para essa gentinha.

Quanto a na blogosfera podermos ser quem queremos... podemos sim... durante um tempo, mas mais cedo ou mais tarde a mascara caí. Ninguém consegue manter essa fachada muito tempo. A verdadeira essência da pessoa acabará sempre por se revelar. ;)

Or so I think.

*

disse...

hà muitas pessoas que vivem disto e acabam por confundir a blogesfera com a realidade...

Patrícia disse...

Concordo com o Le enfant Terrible...muitas vezes sem dar por isso parece que conhecemos as pessoas que escrevem nos blogs ou com quem falamos na internet ...mas para passos gigantes como o amor...tem que se ver para querer ( de forma completa )

Eternamente Inalcansável disse...

Concordo plenamente contigo e faço minhas as palavras da Gingerbread girl e da bê, apesar de acharmos ou pensarmos que conhecemos as pessoas na blogosfera nao sabemos absolutamente nada delas... eu mesma poderia ser uma psico acreditando plenamente que sou a melhor pessoa do mundo e ser uma vitima da sociedade lololololololol como conheço algumas na vida real lololololol