quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Herança genética

Portrait in DeviantART

Há alguém que nunca conheci e que adorava ter conhecido. O meu avô paterno.

Dizem que sou muito parecida com ele. No aspecto físico, na personalidade, nos gostos.

Não revejo em mais ninguém da família os meus olhos de avelã, a minha maneira de ser e de estar.

Adoro ler tal como o meu avô adorava. Os livros enquanto objecto fascinam-me, sempre fascinaram... As capas, o cheiro do papel, os segredos que se escondem em cada página. Adivinha quem ficou com alguns dos teus livros, avô... Tinhas uma biblioteca inteira...

Tenho uma pancada por caixas e caixinhas de cartão (ou qualquer outro material) de todas as formas e feitios. O meu avô fazia as suas próprias caixas.

Dizem que eras um perfeccionista em muitas coisas...eu sou em algumas, já o fui mais.

Gostava muito de te ter conhecido...

Será que a tua cor preferida também era o azul? E o teu prato favorito?

Queria ter trocado ideias contigo sobre os teus autores favoritos, sobre as histórias que viveste...

Mas um ataque cardíaco, um mês depois de teres perdido o teu filho mais novo, levou-te deste mundo.

Fiquei com a tua herança genética, querido avô. E sabes que mais? Adoro ser assim :)

18 comentários:

Patrícia disse...

Perdi ambos os meus avôs aos 4 e 5 anos...um morreu de cancro...outro foi atropelado no passeio...
Tenho apenas imagens vagas deles...como a cor do carro do meu avõ paterno... uma música que ouvi nesse carro e que me agradou ...a colher preferida do meu avô paterno...a corrida que eu fazia quando ele saia de casa para que me levasse ao parque...

São as pessoas que mais falta me fazem acredita...adorava tê-los conhecido...
O meu avô paterno escrevia de uma forma fabulosa...nunca vi, nem escritores a escrever tão bem como ele nas suas cartas...o meu avô materno...era marinheiro...e um pouco díficil (pelo que dizem ,mas também dizem que eu lá o amolecia)

beijinhos!
uma boa noite para ti!

Giovana disse...

Que lindo... Belíssima mensagem!

Eu queria ter conhecido o meu. Faleceu há 7 décadas. Fez parte da grande leva de imigrantes italianos que vieram para o Brasil. Às vezes, me pego com os mesmos pensamentos que os seus e ainda na vontade de conhecer a terra de onde ele saiu.

Por isso, sempre que topo com algum italiano, sempre quero alguma proximidade, seja ela como for.

Beijos!

evita sai-me da mota disse...

Oh que ternura!!
Adorei este teu momento de ternura. Fantástico! Eu apesar de, ainda, ter um avô vivo, houve sempre diferenças externas que nunca permitiram que o conhecesse bem. Só o conheço de passar por ele na rua, e nem sequer nos cumprimentamos.
Pode ser que Deus ainda o castigue...
Beijinhos

Midnight disse...

Os meus avós paternos, deram numa das mais bonitas histórias de amor que já conheci: quem os observava, mesmo em idade avançada, não conseguia ficar indiferente ao carinho e à cumplicidade que possuiam: Contagiante!
Daí, não ser de estranhar a forma como abandonaram este mundo: o meu avô falece em consequência de um problema de saúde grave, e sem ninguém lhe contar, a minha avó falece de desgosto, em plena saúde.
Ainda hoje, são uma referência para mim, e adorei todos os momentos que com eles passei.
Midnight

Saltos Altos Vermelhos disse...

sabes... eu também!

Saltos Altos Vermelhos disse...

mas correcção, avós maternos! ;) no meu caso!

Matchbox32 disse...

Também tenho boas recordações dos meus avós.
Um avô é alguém que nunca morre... fica sempre conosco...

Beijinhos!

pedro disse...

eu gostava de ter conhecido o meu bisa-avô(não sei se assim que se escreve)e o meu avo materno, o meu bisa para me falar o porque de ter estoirado fortunas em cavalos e charretes e meninas ( lol ) e meu avô materno, porque também dizem que era parecido com ele =)

pedro disse...

e desculpa a invasão =)

disse...

E ele vive em ti querida Sakura, o que é uma dádiva para quem o conheceu e amou :)

Dexter disse...

Diz quem me conhece - os meus familiares - que sou a cara chapada e tenho o mm feitio de um primo meu que nunca cheguei a conhecer...infelizmente morreu na Guerra do Ultramar, onde era páraquedista...morreu na última semana em que lá estava, numa emboscada qdo iam festejar o regresso...

Enfim, adorava ler como eu, tinha sentido de humor, era fanático do glorioso SLB :D, adorava música...e mm nas fotos dá p ver que era mto parecido cmg...houve uma brecha de 12 anos (morreu em 72 e eu nasci em 84) e acho engraçado como é que um primo meu em 3º ou 4º grau seja tão parecido cmg...neste caso sou eu que sou parecido c ele...

pedro disse...

ja agora sakura, o nome sakura tem haver com a sakura Haruno? =P

S* disse...

Oh porra... estou-me a ver ao espelho.

Não conheci o meu avô paterno, mas toda a família diz que sou tal e qual ele.

Sorrio muito. Ele também.
Gosto de jornais e revistas, daí jornalismo. Ele todos os dias lia o jornal.
estou sempre a brincar. Ele também.

Gosto de saber que sou parecida com alguem tão fantástico como ele foi. :)

Swadharma disse...

Queres ver que a S* te vai roubar metade da herança? Lol =D

Então suponho que o teu vovô era corajoso, que eu li ali ao lado que salvaste um gatinho ;)

Bem... eu dos meus avós... acho que o paterno tem melhor genética:é elegante, tem 85 anos e ainda está por cá, é destemido, é boa pessoa... é muito boa pessoa.
O outro avô faleceu com 50 anos.

Beijo Sakura

Chocolate disse...

É como diz a Bê ele vive em ti, e os demais recordam-o em ti, da forma mais positiva.

E ainda bem que adoras ser assim, porque devemos sentir-nos bem connosco :)

BJS

Miss Complicações disse...

Sakura,

Tive a felicidade de conhecer os meus bisavôs, e os avôs de ambos os lados da familia. Realmente é fantástico como a herança genética é algo que nos marca para toda a vida.
Em mim tenho um bocadinho de todos e é isso que deixo para os meus filhos. Um dia, também, os teus filhos terão algo de alguém que não conheceram, mas que faz parte deles.

Bjos

Pretty Flower disse...

Pode ter partido mas tu sabes que ficaste com uma grande recordação dele apesar de nem sequer o teres conhecido: a personalidade.

beijos*

Mna. Margarida disse...

Eu também nunca conheci o meu avô paterno, só em fotos!... Mas não pela mesma razão que tu!... Eu foi o meu avô que não me quis conhecer!... Enfim...

Mas também sou parecida com ele fisicamente e nos gostos!... Ele aorava fotografia! E também!...

Não calhou... Morreu há 3 anos sem nunca me conhecer!... Podia tê-lo feito!... Só não sei se o receberia de braços abertos! (mesmo sabendo que a culpa não era só dele!)