sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Impressão em tons de cinzento


Na estrada, marcas brancas no alcatrão...
Passam sem cessar.
No vidro frio das janelas, gotas de água...
Escorregam com uma alegria inusitada.
No coração, pedaços ameaçam soltar-se...
E cair no seu colo.

A neblina baixou na cidade.
Veste-a um manto frio.
Sorrisos tristes feitos de retalhos de sonhos.

Ele passa e acena.
Ela ergue a cabeça, e murmura o que lhe vai na alma.
Nada soa, nada sai.
A voz apagou-se.

2 comentários:

S* disse...

Ficar sem fala, aquela mudez que vem da alma...

MARIINHA disse...

Dias tristes, estados de espírito a condizer.

Bjs