quinta-feira, 8 de julho de 2010

Partido...


Na tela em branco escorre um filme de amor.
Um filme povoado de sorrisos e sonhos a dois.
Aqui neste canto escuro, que contrasta com a tela cheia de luz,
Encontra-se no chão um coração partido.

Não há coragem, não há força, não há quase nada,
Apenas sobra o resto de um ser.

Uma réstia de pensamento positivo.
O sol tapado com peneira.
Folhas que tentam construir, em vão,
Um dique que impeça a cascata de lágrimas.

Não há portos de abrigo em alto mar...
Resta aos pedaços de coração partido nadarem juntos até à praia.
Onde quem sabe o porto de abrigo se reencontrou e deu à costa.
Onde os pedaços de coração continuem a palpitar.

Onde o filme da tela se possa tornar realidade.

7 comentários:

Lia disse...

já percebi que algo não muito bom aconteceu...qualquer coisa, sabes onde estou!

S* disse...

Um coração partido que precisa de um novo porto de abrigo para o proteger.

Hyndra disse...

Espero que isto seja apenas um poema giro e que nada tenha que ver com o estado do teu coração neste momento :D

L'Enfant Terrible disse...

Ainda bem que inventaram a super-cola 3, muito embora nem mesmo essa faça efeito em algumas ocasiões!

Little Tomato disse...

:'(

beijinho em cada um dos pedacinhos partidos... beijinho com cola para os juntar...

Vani disse...

:´( faço minhas as palavras da Little Tomato, linda.

blue disse...

Palavras lindas, apesar de tudo...
O que nos vale, é que enquanto os pedacinhos de coração partido palpitarem, ainda há neles a magia que cola tudo.

Beijinhos, minha querida. Um abraço forte.